Máquina de Fazer pão, Pão

>Pão de mistura

>Mais um pão feito pelo padeiro de serviço cá de casa, o marido que desde que temos a máquina que ele assumiu o comando e vai testando e inventado, experimentando farinhas e novas proporções, para encontrar o pão perfeito.

450 ml de água
1 colher de chá mal cheia de sal
100 gr de farinha de milho
200 gr de farinha de centeio
450 gr de farinha de trigo
1/3 de um pacote de fermento ramazzotti

Meter tudo na máquina de fazer pão pela ordem dos ingredientes apresentados.

O programa escolhido foi o 1 na minha máquina, corresponde a pão branco – 3h e o tostado é o médio.

Neste pão o marido experimentou uma coisa nova para ver se conseguia um pão mais cozido na parte de cima, porque normalmente qualquer que seja o tostado, só se nota alguma diferença por baixo e de lado, sendo que por cima fica sempre mais branco.

Para isso ele inventou tapar a cuba da máquina com uma pelicula de aluminio dobrada e ajustada para tentar manter mais calor em cima e na verdade resultou bastante bem, o pão ficou bem mais douradinho por cima.

A farinha de centeio, já me têm perguntado onde a compro, esta que estamos a usar, nem tem marca, comprou-a numa casa/armazem de produtos agricolas, daquelas casas á moda antiga que vendem tudo, desde sementes a granel e em pacotinhos, farinhas, comida para animais…..

Esta fotografia é de um pão semelhante sem a pelicula de aluminio, nota-se alguma diferença na parte de cima, principalmente.

Na primeira fotografia, nota-se uma certa homogeneidade na côr.
Anúncios
Peixe

>Filetes de peixe com camarão

>Cá em casa gostamos muito destes filetes, mas para variar do frito que sabe bem mas não é muito saudável, de vez em quando faço no forno, mais ou menos elaborado.

Estes fiz mais ou menos como costumo fazer os de perú com sopa de cebola, com as devidas alterações para peixe.

4 filetes de peixe gato
1 pacote de natas (200ml)
1 chávena de camarões descascados
Creme de marisco a gosto
2 colheres de sopa de coco ralado
Sumo de limão a gosto
1 colher de sopa de salsa picada

Polvilhei o tabuleiro com o pó do creme de marisco e coloquei os filetes partidos em cima.

Polvilhei estes também com o pó e com a salsa picada.
Meti os camarões por cima e reguei com sumo de limão e polvilhei com o coco ralado

Por cima reguei com as natas e levei ao forno a assar durante 30 min a 225º

Desta vez servi com puré mais apreciado cá em casa, mas com arroz também ficaria bem.

Pintura

>Pinturas e artes decorativas

>Ultimamente o tempo e a disponibilidade tem sido pouco para artes, as ciosas que tenho feito é durante alguma folga do serviço, em horário escolar, porque ainda não me atrevi a tirar as tintas e pinceis com o indio á minha volta, porque normalmente trabalho com tintas de óleo e produtos agressivos e tóxicos e antes que haja algum acidente, ainda não arrisquei, por isso tenho feito coisas que me levam menos tempo e exigem menos.

Pintura tenho andado mais virada para a pintura infantil, ou para o meu indiozinho ou para os amiguinhos que vão nascendo.

Este já fiz há algum tempo para uma menininha

Este que já ia dando um incidente diplomático porque o meu menino assim que o viu disse logo eu “adoro deste” não lhe encontrou nenhum defeito, nem nada em falta e agora quer um igual, porque este já tem destino, já estava prometido há algum tempo para um amiguinho.

Esta caixinha fiz para mim mesmo, para arrumar os cházinhos que tanto gostamos cá em casa.
Já há algum tempo queria fazer uma e foi agora, tenho vto muitas com a celebre técnica do guardanapo, mas como nunca tinha feito nada assim resolvi experimentar.
Neste caso não foi com guardanapos porque encontrei estes desenhos que gostei e penso que não ficou mal.

Olhares

>Orquideas

>

Gosto muito de orquideas e já me ofereceram várias, mas não consigo mante-las por muito tempo, ou levam água a mais ou porque as transferi para terra que não devia ou por água a menos, não me consigo entender.
Parece-me que as opiniões também não são muito uniformes, até nas lojas da especialidade já me deram conselhos diferentes.
Em relação á rega as diferentes sugestões, que já ouvi:
Há quem diga que se deve apenas pulverizar
Há quem diga que se deve pôr apenas água no prato ou vaso de fora
Há quem diga que se devem regar á torneira e deixar a água escorrer por baixo.
Em relação á terra
Há quem diga que não se devem mudar de vaso
Que devem ficar nos vasos transparentes
Que devem ficar só nas cascas que trazem e não se deve juntar terra.
As minhas estão nos vasos transparentes em que vieram e dentro deste vaso de porcelana, vou regando das diversas maneiras que já me disseram, mas parece-me que já vejo raizes a secar ou apodrecer.
Não estão á luz directa nem apanham sol, porque nisto parece-me que há consenso, ainda que a minha mãe tem uma orquidea miniatura e mudou-a para um vaso opaco com terra e tem o vaso numa janela onde dá sol a manhã inteirinha e a orquidea tem as folhas feias e rugosas mas dá flor várias vezes ao ano!!!!
Alguem que tenha mais sorte que eu me dá uma dica??!!
Pão

>Pão de chouriço

>Quando fiz a ultima pizza utilizei só metade da massa e com a restante resolvi fazer pão de chouriço para experimentar, porque nunca tinha feito.

A receita é a que tenho utilizado para fazer a massa de pizza

300ml de água
3/4 de colher de cha de sal
2 colheres de sopa de azeite
450 gr de farinha tipo 55
2 colheres de chá de açúcar
1 pacote de fermento em pó. eu costumo usar  do ramazzotti e meto só metade.

Meter os ingredientes na máquina de fazer pão e seleccionar o programa massa e numa hora e meia está a massa prontinha para fazer uns pãezinho deliciosos, pizza ou o que se quiser.

No fim do programa acabar deve-se retirar a massa para uma superficie enfarinhada, eu não ponho na pedra da banca de cozinha porque me parece que a massa arrefece e não fica boa, por isso transfiro para uma taça que passei préviamente por água quente.

Deixa-se a massa repousar durante pelo menos 10 min para levedar mais um bocadinho.

Esticar a massa do tamanho que se quiser e rechear com chouriço ou outra coisa, eu recheei com chourição cortado fininho e enrolei.

Foi ao forno a 225º num tabuleiro enfarinhado durante 30 min

Soube a muito pouco, só deu para provar ainda quente, porque frio nem sabemos como sabe!! se é melhor ou pior 🙂
Bolos

>Bolo tang

>A minha mãe sempre disse que eu tenho mais olhos que barriga, sempre desejei muita coisa que depois detestava, para comer claro, se via uma papa nova pedia e detestava como todas as outras papas, se via um bolo apelativo queria e depois não comia e por aí vai…

Agora continuo na mesma, há tempos que andava com esta ideia do bolo de tang na cabeça, desde que vi bolos de coca-cola, de gelatina e de tang, meti na cabeça que tinha que experimentar, ainda que cá em casa não seja muito adepta deste tipo de concentrado de sumo, porque penso serem só corantes e açúcar e mais uma carrada de éesss, lá comprei o pacotinho para experimentar.

A receita encontrei-a por aí na net, já nem me lembro onde e resolvi fazer de morango porque o pequenito adora morangos, pensei eu num bolinho bem cor-de-rosinha e bem bonitinho e a verdade é que ficou muito bonito, mas é mesmo só bonito, pelo menos para mim, á primeira dentada detestei e o meu menino idem aspas, deu uma trinca e disse que não queria mais –  olha mãe a minha barriga está gorda, já não tenho fome 🙂

Uma coisa que me pareceu é que há qualquer coisa que aviva o sabor não de morango mas do óleo!! que já de si eu detesto pôr nos bolos, mas que normalmente nem se encontra o sabor.

Bem a receitinha foi esta, para o caso de alguem se querer aventurar.

200 gr de açúcar
300 gr de farinha
4 ovos
1 dl de óleo
1 colher se chá de fermento
1 dl de água
1 pacote de tang, eu usei de morango

Bater muito bem os ovos inteiros com o açúcar até dobrar o volume e juntar em seguida o óleo, o tang dissolvido na água e por ultimo a farinha envolvida com o fermento.

A massinha ficou logo com uma cor espectacular,  e o meu batedor de ovos oficial perguntou se afinal era um pudim ou um bolo, começou logo a estranhar a coisa 🙂

Levar ao forno em forma untada de manteiga e polvilhada de farinha, durante 30 min a 200º

Fica muito bonito e bem cor de rosinha

Mas o sabor e a textura são meio estranhos, muito artificial, tipo aqueles bolos de compra em pacotinhos.
Quando eu era pequena a minha mãe dizia que era o meu irmão que me salvava de comer as coisas que pedia, agora não sei quem me vai safar de comer este, porque o desagrado foi geral 🙂
Pizza

>Pizza duas estações

>Já há algum tempo que não fazia pizza cá em casa, foi no sábado á noite que fiz esta pizza duas estações, porque o menino gosta de pizza, mas tem que ser uma coisa mais simples tipo queijo e fiambre sem grandes inovações, porque se não começa a escolher tudo e fica uma grande mistela.

A massa fiz na máquina do pão com a mesma receita que já tinha feito aqui, já que ficou aprovada.

Nesta pizza utilizei a conserva de tomate que fiz já nem sei há quanto tempo e que ainda não tinha experimentado, foi o teste á resistencia da conserva e ficou aprovadissimo, o sabor está espectacular, apetece comer ás colheradas.

Depois de esticar a massa no tabuleiro do forno barrei com a massa de tomate e por cima meti o fiambre e os cogumelos.

Depois dividi em duas partes e numa meti só queijo ralado e na outra meti queijo mozzarela fresco ás fatias fininhas e rodelas de tomate também finas.
Na parte do menino deitei mais um fio de azeite e na nossa meti uma camadinha de oregãos e o mesmo fio de azeite.

Depois foi só ir ao forno e esperar pelo resultado, e o resultado foi uma pizza de massa fina mas fofa e muito suculenta, principalmente a parte do tomate.