artesviagensesabores

>Um longo adeus

Posted on: Novembro 22, 2010

>

“A doença de Alzheimer é uma doença do cérebro (morte das células cerebrais e consequente atrofia do cérebro), progressiva, irreversível e com causas e tratamento ainda desconhecidos. Começa por atingir a memória e, progressivamente, as outras funções mentais, acabando por determinar a completa ausência de autonomia dos doentes…..” 
Isto é o que toda a gente sabe, ou já ouviu falar sobre esta doença, aquilo que quase ninguém sabe é o processo por que um doente destes passa até chegar á tal completa ausência de autonomia.
Quando se fala nesta doença toda a gente associa á falta de memória, mas ninguém imagina o que está associado á falta de memória, toda a gente só pensa no esquecimento de factos e pessoas, mas o que lhe está associado é muito mais, é o esquecimento das letras e por conseguinte da leitura e da escrita, é o esquecimento da fala e por conseguinte da comunicação, é o esquecimento da função dos objectos e por conseguinte o esquecimento da sua utilidade, e nisto englobamos, talheres, cadeiras, sapatos, calças, sanita, banheira…. e por aí vai, ou seja para um doente destes é indiferente a utilidade de uma sanita ou de uma cadeira, tal como a diferença entre um garfo ou uma caneta, ele esqueceu-se do que é aquilo e para que serve.
Como exemplo chega para perceber um pouco o processo, mas se pensarmos que este processo não é uma coisa imediata, não corta de um dia para o outro a memória, ela vai-se perdendo aos poucos, alternando períodos de confusão com períodos de lucidez e se pensarmos que este processo se pode arrastar por 10 anos ou mais e que este processo pode começar  numa idade em que a pessoa está perfeitamente no activo, em que ainda trabalha e pensa que está no auge da vida, dá para perceber um pouco a angustia por que passam estes doentes durante muitos anos ao aperceberem-se de como estão a ficar e para a familia o sufoco de ver a pessoa a descer degraus que nunca mais voltará a subir, ver o doente treinar para não esquecer de apertar os sapatos, ver o doente treinar para não esquecer de escrever nem que seja o nome…….
Esta doença tem três fases perfeitamente definidas, uma em que só o doente sabe, a segunda em que o doente e a família sabem, terrivel para o doente e familia e a mais terrível para a família penso eu, em que já só a família sabe, em que vê o familiar degradar-se tanto e de um modo tão lento e desesperante e em que nada há para fazer, para além de tentar dar-lhe alguma qualidade de vida, que apesar de todo o esforço da família é quase impossível tratar em casa a partir de determinado patamar e aqui entra a parte pior do nosso sistema social, a falta de apoio, a todos os níveis e para além disso a rejeição por parte de todas as instituições, por incrível que pareça até nos hospitais estes doentes são rejeitados, ocupam camas, ficam caros e afinal não há nada a fazer!!!!!Até a familia é olhada de lado parece que são culpados de alguma coisa!!!!!
Outra coisa desesperante é o cuidado prestado a estes doentes em fase terminal nos hospitais, como são doentes que não se queixam, nem se mexem, muito rapidamente apanham as famosas escaras, ou feridas de decúbito ou ulceras de pressão, nomes pomposos para uma coisa que só acontece por falta de cuidado e desleixo por parte dos profissionais de saúde, outra, as famosas infecções hospitalares, ou nosocomiais, outro problema gravissimo em grande parte causado por falta de cuidados de higiene dos profissionais de saúde, que passam de doente em doente sem passar as mãos por um desinfectante nem por água sequer, e estamos a falar em hospitais acreditados!!!! e como se não bastasse, contaminam os doentes e mandam-nos para casa cheios de febre!!!!!!!! enfim mais uma situação desesperante perante a qual não podemos fazer grande coisa, podíamos reclamar, escrever, mas será que serviria de algo? ou serviria apenas para o doente passar a ser mais um elemento non grato.

E como se  todo este processo não fosse já doloroso demais, ainda falta para completar o ramo, o total abandono por grande parte dos amigos e até de uma fatia considerável da familia, porque -ele nem nos conhece, -ele nem fala!!!!!!!!!

Por esta angustia toda passou o meu pai durante 12 anos, agora queremos acreditar que estará em paz, porque partiu para um lugar melhor concerteza, onde se acabou a dor e o sofrimento.

15 Respostas to ">Um longo adeus"

>Minha querida paz à sua alma, ninguém devia sofrer tanto nesta vida, assisti desde menina, até a idade adulta a uma doença maldita que têm contornos tão idênticos e que reduzem um ser humano a nada…a minha avó sofreu de Parkinson, uma mulher tão activa e dinâmica que acabou dependente de tudo e de todos…penso sempre que haverá um lugar melhor para eles, e nós os que os amamos, vamos guardar no coração a magnifica experiência de vida e ensinamento que nos deixaram.Beijocas.

>Que a sua alma descanse em paz.Nestas alturas as palavras parecem não fazer sentido. Não têm capacidade para exprimir o que gostariamos de transmitir por isso, deixo aqui, apenas, um abraço sentido.Bjhttp://asvezescozinheira.blogspot.com

>os meus sentimentos,agora está em paz, que Deus o guarde.força………….sei que é uma palavra simples , mas não sei o que dizer para aliviar a tua dor.bjkas

>Minha linda, deixo-te um beijo e um abraço apertado.. Não há palavras para confortar o teu sofrimento, bem sei…Força..beijo

>Vejo seu relato como um desabafo, além de uma despedida.Não gostamos de ver nossos queridos sofrerem. Na verdade, se temos empatia, não devemos encarar com normalidade o sofrimento alheio de quem quer que seja. Lamentamos que se tenha sofrer mais do que o necessário diante dessa doença, por descaso ou descuido.Para quem acredita, como eu, esses 12 anos foram um resgate, de onde se sai fortalecido e se deixa muitas lições para os que ficaram.Há o consolo de saber que o alívio chegou.Fique na paz!

>Querida Alcina,lamento a tua perda. Nestas alturas nunca sabemos muito bem o que dizer pois nada pode aliviar a tua dor. Só o tempo…Também já tive um caso de alzheimer na familia. Sei bem do que falas. Mas tenta encontrar a tranquilidade, não te revoltes.Beijinhos.Estarei contigo em pensamento.

>Sinto muito o que aconteceu.A minha sogra tem o mesmo problema e também tem parkison.É uma doença muito triste vermos aqueles que amamos a degradarem-se….Um abraço grande!Fique em paz, acredito que ele estará em paz…

>Os meus sentimentos.Beijo grande neste momento difícil

>Em horas tão difíceis, poucas palavras há que se possam dizer por forma a apaziguar o coração que sofre tamanha perda e saudade, mas venho aqui hoje apenas para te deixar um grande beijinho e um xi-coração bem apertadinho com votos de muita força e que consigas reter na memória todos os maravilhosos momentos que passaram juntos, com ele bem e saudável, e que essas recordações te ajudem a continuar o teu caminho, agora sem o teu querido pai junto de ti fisicamente.

>linda os meus pensames.que descanse eem paz-um beijinho muito grande para ti

>Olá AlcinaNão tem que se sentir envergonhada. Acho que estamos todas em familia (uma vez que todas gostamos do mesmo – cozinhar), tenho aprendido muito com todos, acho que sou uma melhor cozinheira desde que vos espreito.Ainda bem que gostou do meu blog, é muito simples nada como os vossos blogs com comeres maravilhosos, mas um dia chego lá ;)Um beijo grande,Babinhos

>Sinto muito pela sua perda, mas agora também o seu pai está liberto.Tem uma estrela no céu a olhar por si e pelos seus, para que nada de mal aconteça.Sei que pouco ou nada se pode fazer nestas alturas, mas se precisar de alguma coisa….bj

>Alcina,Meus sentimentos estão com você nesse momento tão difícil. Mas acredito como você que depois de 12 anos de luta contra uma doença tão difícil sem dúvida teu pai agora está num situação melhor, mais aliviado. É mesmo uma doença terrível, mas eu achei interessante essa explicação que você deu, a tal divisão em 3 fases, faz todo sentido mesmo. Força e esperança nessa hora.Beijos,Cláudia

>minha querida amiga..a perda dos pais é apenas um degrau abaixo da perda de um filho…mas para o teu pai não foi agora o fim..quem sabe se não será o inicio de um bela viagem para um lugar tranquilo e em paz!Guarda as memórias boas q tens dele ..as suas gargalhadas..qd te levou ao altar naquele dia lindo do teu casamento!Um beijo enorme , e apazigua a tua dor com o sentimento q agora ele se encontra finalmente LIVRE!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


  • margarida fialho: em vez de manteiga no bolo ponha a mesma quantidade em azeite ,e as medidas das especiarias é de colher de café
  • Margarida Correia: fiz mesmo agóra ficou muinto bom agradeçida lhe fico
  • alcinamc: A primeira imagem é na serra da estrela, como todas as outras, a primeira fica algures quando se desce da torre para a lagoa comprida (Sabugueiro), m
%d bloggers like this: