Abobora, Bolos, Coco

>Bolo de abobora e coco

>Este bolo foi uma adaptação de uma receita de bolo de cenoura que faço muito cá em casa e uma junção com coco, porque gostei muito do resultado na compota, para dar uso a uma abobora gigante que teima em não acabar.

4 ovos
2 chávenas de farinha
2 chávenas de açúcar
2 chávenas de abobora ralada
1 chávena de coco ralado
1 chávena de óleo
Bater muito bem os ovos com o açúcar até dobrar de volume e juntar o oleo.
Envolver a farinha peneirada, a abobora e o coco.
Levar ao forno a cozer em forma untada e polvilhada de farinha.
Em forno a 200º demora mais ou menos 40 min.
A decoração foi só para enganar o papa chocolate cá de casa.
Anúncios
Abobora, Filhós

>Filhós de abobora

>Este ano no decidi experimentar as famosas filhós de abobora ou velhoses tipicas da zona de coimbra, como não tinha receita procurei na net e encontrei várias, mas como sou um bocadinho indisciplinada uma não agradava por uma coisa e outras por outra qualquer, vai daí encontrei um meio termo que me agradou

• 1400 gr de abóbora-menina *
• 600 gr de farinha de trigo fina
• 4 ovos inteiros
• 10 gr de fermento de padeiro
• Meio grama de sal (juntei uma pitada, não pesei)

• Açúcar e canela para polvilhar

* O peso da abóbora é calculado, depois de cozida, escorrida e espremida.

Coze-se a abóbora deixando-a depois escorrer num passador, dizem as regras que deve escorrer de um dia para o outro, ou então espremer num pano, eu deixei escorrer da hora do almoço até ao lanche;

Depois de bem escorrida desfaz-se com as mãos e junta-se aqui o fermento, o sal, os ovos e a farinha, amassando-se tudo muito bem.

Deixa-se fintar (levedar) durante o tempo necessário (10 horas em média, variando contudo conforme a temperatura do ar) claro está que 10 horas seria um tempo infinito para a minha paciência, por isso meti numa bacia, embrulhadinho num cobertor em cima do fogão porque o forno estava ligado e havia um calorzinho por cima.Ficou umas duas horas no máximo!!!!

Depois da massa bem finta (levedada) faz umas bolinhas, aí está na hora de fritar.
Põe-se azeite de muito boa qualidade (usei óleo), num tacho e quando estiver a ferver, vão-se-lhe deitando dentro bolinhas de massa do tamanho de uma noz, esta parte da receita também me escapou, porque meti colheradas bem cheias o que quer dizer que resultaram umas filhós maiorzinhas.
Quando as bolinhas estiverem bem louras, tiram-se para uma travessa e servem-se polvilhadas com açúcar e canela.

Abobora, Carnes

>Coelho com abobora

>Este coelho foi uma vizinha lá da quinta que me deu, porque é carne que não compro habitualmente, há sempre aquela duvida!!!e depois como o marido não é fã….

Este fiz com abobora e abusei dos condimentos, coisa pouco habitual cá em casa.
Assim fiz o refogado da praxe, que cá em casa é sempre igual, com
1 cebola
3 dentes de alho
1 tomatinho
1cenoura grande
azeite e sal q.b.
1 copo de Vinho branco
Desta vez juntei mais
um raminho de alecrim
uma colherinha de café de cominhos
Pimenta moida na hora
Ah e não esquecer
o coelho
e a abobora (duas fatias médias)
Com duas ou três horitas de antecedência temperei o coelho com o sal, pimenta, alho picado, vinho e o alecrim e deixei marinar.
Depois foi só picar a cebola de modo grosseiro, juntar o alho e o coelho e deixar dourar um bocadinho.

Depois juntei o tomate, a cenoura partida aos cubos e o molho da marinada, deixei cozinhar até o coelho estar quase pronto e só no fim juntei a abobora cortada aos cubinhos, para não se desfazer muito.

Deixei mais uns minutitos até a abobora ficar macia e está pronto.

Acompanhámos com a tradicional batatinha cozida e salada

Abobora, Tartes

>Tarte de abobora

>A saga das aboboras não tem fim.

Este fim de semana fui jantar a casa de uns amigos e como estão sempre, á espera que eu leve a sobremesa, fiz esta tarte para levar, porque andava com vontade de a fazer para aqui postar, assim aproveitei porque cá em casa já estamos um bocadito pelos cabelos com a abobora e assim divide-se por mais 🙂
É uma receita já bastante antiga cá em casa, faz parte ainda, do meu livrinho de escritos á mão.
Tem a particularidade de ter uma base bastante estranha, mas muito facil de fazer.
Massa:
2 copos de Farinha
3/4 do copo de leite
1/4 do copo de óleo
Recheio:
2 copos de abóbora cozida
1 copo de açúcar amarelo
1 colheres chá de canela
1 colher de café de noz moscada
2 Ovos
1 copo de leite gordo (usei meio gordo)
1 colher sopa margarina (esqueci-me dela e não lhe senti a falta)
Natas para chantily q.b.
Preparação:
Para a massa bate-se o leite com o óleo até ficar espesso.
Mistura-se a farinha com um garfo e faz-se uma bola.
Forra-se uma tarteira com esta massa, a textura fica tipo esponjosa, muito maleável e eu estico-a na propria tarteira com as mãos.
Para o recheio
Para encher dois copos de puré de abobora costumo cozer meio kilo já descascada.
Depois de cozida e muito bem escorrida a abóbora, tritura-se com a varinha ou passe-vite e mistura-se com os restantes ingredientes, eu adicionei-os pela ordem que os escrevi, mas não parece que tenha grande importância
Deita-se na tarteira e vai a cozer em forno bem quente.
Serve-se fresca coberta de chantily.

Desta vez esqueci-me do chantilly de proposito, porque o jantar já ia ser calórico e gordo quanto baste.
Abobora, Bacalhau, Peixe, Quiche

>Quiche de bacalhau e abobora

>

Tenho visto que anda pelos blogs uma grande votade de saciar o desejo da rita palita eu decidi colaborar também e como quiches é uma coisa que faço habitualmente, porque gostamos bastante, foi um prazer.

As quiches que faço normalmente são sempre feitas da mesma maneira, o que muda é só mesmo a carne peixe ou outra coisa….e uso habitualmente para facilitar as bases de massa folhada de compra.

Desta vez decidi mudar, porque vi no blog da ameixinha uma receita de base com farinha integral que me ficou na cabeça, principalmente porque ela disse que a massa se trabalhava muito bem.

Então a receita.

Para o recheio
1/2 embalagem Bacalhau desfiado e demolhado.
1 cebola média
2 dentes de alho
2 fatias de abobora (+/-120gr cada)
1 pacote de natas
3 ovos + 1 clara
1 colher de sopa de farinha
Queijo ralado q.b.

Para a base
60gr de farinha integral
60gr de farinha normal
60gr de margarina vegetal
1 gema
2 colheres de sopa de água morna.

Primeiro fiz a base, juntei as duas farinhas e a manteiga e amassei com as mãos até ficar tudo tipo pão ralado como disse a Ameixinha, depois juntei a gema amassei e como estava um bocadito seca juntei as colheres de água e amassei mais um bocadito.


Envolvi numa pelicula aderente e meti no frigorifico enquanto preparei o recheio.

Piquei as cebolas de modo grosseiro e os alhos, meti ao lume com um bocadinho de azeite a refogar, mas pouco, juntei o bacalhau demolhado e um nadinha de leite e deixei ao lume enquanto arranjava as aboboras.

Cortei umas laminas finas, para colocar a decorar, reservei e piquei o resto aos cubinhos pequenos para junto do bacalhau.

Entretanto bati os ovos inteiros com a clara que sobrou da base, bati com as natas e a colhe da farinha.

No fim estiquei a massa coisa nunca conseguida por mim com outro tipo de massas, por isso ser fã das de compra.

Meti o recheio quente em cima e juntei o dos ovos. por cima meti as fatias finhas que tinha reservado para a decoração e levei ao forno a cozer.

Como já tenho visto por aqui também, juntei o queijo ralado só a meio da cozedura, o efeito não me seduziu, gosto mais de juntar logo no inicio.

Fiquei fã desta base de massa integral, para além de ser muito saborosa, faz-se muito rápido e consegue-se esticar muito bem, fininha e enrolar no rolo para colocar em cima da tarteira sem se partir toda, como costumava acontecer com as outras que tentei fazer.

Abobora, Bolos

>Bolo de abobora do Luis

>Esta receita foi o meu amigo Luis que me deu já faz algum tempo e eu guardei-a religiosamente á espera das famosas aboboras, porque me pareceu um bolo muito bom e não me enganei.

A abobora que usei foi esta.

Ingredientes:
500 g de abóbora
200 g de açúcar
300 g de farinha
4 ovos
200 g de nozes moídas (eu piquei-as de modo grosseiro).
2 colheres de café de fermento em pó
2 dl de óleo (Juntei só metade)
3 colheres de café de canela
Preparação:

Bata os ovos com o açúcar e o óleo.
Junte a abóbora cozida, bem escorrida e passada pelo passevite, eu triturei com a varinha.
Junte o fermento e a canela á farinha, envolva tudo e acrescente aos restantes ingredientes, misture tudo muito bem.
Por ultimo juntam-se as nozes picadinhas.

Leve ao forno em forma de buraco, untada de margarina e polvilhada de farinha. Eu levei ao forno em tabuleiro, porque me pareceu uma massa muito pesada, para cozer mais de pressa.
0,5 hora de forno (+/-) 200º/220º foi o suficiente assim em tabuleiro..

Abobora, Compotas doces e geleias

>Doce de abobora

>Continuando com a mesma abobora, porque mesmo depois de oferecer metade me sobrou muita, lá fiz um bocadito de doce, como não podia deixar de ser, é tipo vicio este meu gosto de fazer doces!!! se não os fosse oferecendo, já estariamos diabéticos ou obesos morbidos, tal a quantidade que faço sempre !!!

1,2kg de abobora
600 gr de açúcar
2 paus de canela
Primeiro descasco a abobora e retiro-lhe as sementes e os fios que as acompanham.
Parto aos bocadinhos, meto no tacho e deito-lhe o açúcar por cima.
Levo a lume brando até ganhar molho, depois já se pode elevar um bocadito a temperatura e deixa-se ferver até ganhar ponto, eu como não percebo nada de pontos faço sempre da mesma maneira, levanto a colher e deixo cair o molho, quando a ultima gota que cai deixa um “rasto” está pronto.

Os paus de canela adiciono-os mais ou menos a meio do processo.

Logo depois de apagar o fogão meto em frascos de vidro com tampa de metal e enrosco logo de seguida ainda a ferver, assim ganha tipo vacuo e não se estraga, mesmo doces com menos açúcar e sem tanto ponto, se conservam