Arroz, Saladas

>Salada de frango

>

Quando a imaginação falta com tanta refeição para preparar ás vezes saem umas saladinhas diferentes, com aproveitamentos ou não.
Nesta utilizei peitos de frango assado que ninguem gosta cá em casa e fiz um arroz branco, só cozido em água temperada com um caldo de carne e umas ervilhinhas com mais uns pózinhos de perlim-pim-pim
1 chávena de arroz
1 chávena de ervilhas congeladas
1 chávena de milho de conserva
2 peitos de frango assado
Tomate
Pepininhos de pikles
Azeitonas
Cozer o arroz com as ervilhas em água abundante e temperada com um cubo de caldo de carne e um fio de azeite, quando estiver quase cozido, junta-se o milho.
Retirar do lume e passar para um escorredor de rede e passar rápidamente por água fria.
Juntar o frango desfiado, envolver tudo e transferir para uma travessa.
Decorar com os pikles cortados aos pedacinhos, as azeitonas e o tomate.
Fica uma saladinha morna muito apetitosa, quem gostar imagino que fica bem com um monte de maionese, nós cá em casa até gostamos, mas por principio não o fazemos.
Anúncios
Arroz, Risotto

>Risoto de cogumelos

>Um risoto de cogumelos, para lembrar um pouco o arroz de miscaros que comia com tanta satisfação quando era jovem e que agora não sou capaz nem de passar ao lado…
Desde que comecei a trabalhar em hospitais e vi familias inteiras despedaçadas pelos famosos miscaros que toda a gente diz conhecer muito bem, mas de vez em quando lá sai um primo mais parecido e que é suficiente para envenenar uma familia inteira, nunca mais comprei, cá em casa só entram os de cultivo ou os que se vendem nos hipermercados devidamente catalogados, inspeccionados e afins…

1 chávena de arroz risoto
1/2 cebola
1 lata de cogumelos
1 chávena de cogumelos frescos
1/2 chávena de vinho branco
2 e 1/2 chávenas de água
1 cubo de Knorr de galinha (ou outro caldo feito de modo mais caseiro)
1 colher de sopa de manteiga
2 colher de sopa de azeite
Queijo ralado a gosto (esqueci-me….)

Primeiro picar a cebola bem fininha e levar ao lume a alourar na manteiga e azeite.

Juntar o arroz e mexer sempre até absorver a gordura toda e começar a ficar transparente.

Juntar então o vinho com cuidado porque borbulha muito e mexer sempre até secar completamente.

Juntar então caldo de carne, feito com a água e o cubo Knorr, a ferver aos poucos e sempre a mexer.

Juntar aqui os cogumelos.

Continuar sempre a mexer, para não pegar ao fundo do tacho e por ultimo juntar o queijo ralado e envolver bem.
Com a pressa esqueci-me, mas ficou bom na mesma, para mim o sabor dos cogumelos é tão bom que deve ter sido o inconsciente a não me deixar meter o queijo para não o disfarçar.

Arroz, Enchidos/Fumeiro

>Arroz de chouriço e grelos

>Este arroz tem aqui lugar porque ficou um verdadeiro manjar, foi o marido que fez num daqueles dias em que -o que fazer para jantar- estava um verdadeiro dilema.

Vai daí ele disponibilizou-se para ir para a cozinha e como costume lá fez um pratinho inventado á maneira dele e que eu adoro.

A receita diz ele, -não há!!! nem para por lá no meu bloguinho?? -não é á minha maneira!!!

E a maneira dele desconfio que é um refogadinho com cebola e azeite e umas rodelinhas de cenoura, com umas colheres de polpa de tomate a namorar com umas rodelas de chouriço caseiro da mãezinha dele, umas de cebola que se usam lá pela zona de lamego e que devem ser cozidas antes.

Ah e também vejo um grelinhos por ali a espreitar e umas rodelas de salsicha que andavam esquecidas no frigorifico…

O resultado não sei se foi pelas chouriças ou se pelo cozinheiro estava de lamber os beiços .-)

Arroz

>Homenagem ao arroz tão desprezado cá em casa.

>Arroz cá em casa é sempre o ultimo recurso, porque se pensar em fazer arroz com alguma coisa ou alguma coisa de arroz, enquanto chego á cozinha e preparo as coisas mudo fácil de opinião porque acho sempre que a coisa combina melhor com massa ou batata e ainda por cima agora tenho um ajudante á festa que diz que gosta de tudo, mas quando chega o arroz pergunta logo porquê arroz.

Se por acaso pergunto ao marido se faço arroz com qualquer coisa ele diz que sim, quando chega á mesa e encontra massa pergunta para que lhe perguntei, caso também frequente cá em casa.

Arroz branco então é mesmo persona non grata á minha mesa, a não ser que seja para acompanhar alguma coisa com bastante molho para ensopar o dito.

Por isso opto por fazer muitas vezes arroz de qualquer coisa que tenha sabor, cor e principalmente um molhinho saboroso.

Pode ser de legumes variados, de feijão, de pimentos, de ervilhas, mas muito raramente branco, ao contrário de muitas casas onde vou e me dizem que tem sempre no frigorifico uma caixinha de arroz branco porque dá sempre muito jeito!!! cá em casa não me dá jeito para nada.
Trago então alguns dos arrozes que cá em casa gostamos.

Este de legumes faço com o que tenho á mão na altura, neste caso foi com cenoura e couve coração que por acaso tenho sempre cá em casa, porque gostamos muito.

1 cebola
3 dentes de alho
1/2 copo de polpa de tomate
2 cenouras médias
1/4 de uma couve coração média.

Picar a cebola e o alho e pôr a  refogar em azeite, quando estiver meio transparente, juntar a polpa de tomate e deixar mais uns minutos.

Depois junto meio copo de água e junto a couve cortada pequenina e deixo cozinhar só um bocadito.
Junto a restante água que neste caso costuma ser três copos de água para um de arroz, no total.

Junto o arroz e deixo cozer.

Pode ser da mesma couve mas sem o tomate.

Também pode ser de ervilhas de cavaca/tortas.

Ou de pimentos

Ou de feijão, neste caso junto ao refogado umas coisinhas mais apetitosas, daquelas que fazem muito bem á saúde, tipo chouriço, bacon….

A base é mais ou menos sempre igual, o que varia é o legume

Arroz, Risotto

>Risotto de Palmito – Dia branco

>

Mais uma contribuição para o desafio que a amiga Mary lançou, para colorir o arco-iris gastronómico.

Depois de cores bem alegres temos agora o branco, eu mais uma vez tentei fugir dos docinhos tão apetecidos e de branco as opções eram muitas, mas optei por experimentar o palmito, muito pouco frequente na nossa gastronomia, uma coisa de que já tinha ouvido falar, mas que nunca tinha provado, mas depois de provar fiquei fã.

O palmito é um alimento obtido da região próxima ao meristema apical, do interior do pecíolos das folhas de determinadas espécies de palmeiras (ou popularmente, o “miolo” da palmeira). Trata-se de um cilindro branco contendo os primórdios foliares e vasculares, ainda macios e pouco fibrosos.

O meu risoto é uma mistura de receitas que pesquisei na net e um bocadinho também de outros risotos que costumo fazer.

1 chávena de arroz risoto
1/2 cebola
1/2 frasco de palmito de conserva
1/2 chávena de vinho branco
2 e 1/2 chávenas de água
1 cubo de Knorr de galinha
1 colher de sopa de manteiga
2 colher de sopa de azeite
Queijo ralado a gosto

Primeiro picar a cebola bem fininha e levar ao lume a alourar na manteiga e azeite.

Juntar o arroz e mexer sempre até absorver a gordura toda e começar a ficar transparente.

Juntar então o vinho com cuidado porque borbulha muito e mexer sempre até secar completamente.

Juntar então caldo de carne, feito com a água e o cubo Knorr, a ferver aos poucos e sempre a mexer.

Quando o arroz está quase cozido e já absorveu a maioria do liquido, juntar o palmito aos cubinhos ou ás rodelas, eu meti cortado das duas maneiras e aos cubinhos desaparece.

Continuar sempre a mexer, para não pegar ao fundo do tacho e por ultimo juntar o queijo ralado e envolver bem. Eu usei uma mistura de queijos ralados, que inclui chedar, mozzarela, parmesão e emental e polvilhei também no prato.

Ficou muito bom e cremoso.

Arroz, Enchidos/Fumeiro

>Arroz de fiambre

>

Este arroz fiz para gastar fiambre, chourição e bacon que tinha comprado, para fazer as mini-bôlinhas e sobrou.
Fiz também porque tenho na lembrança de quando era pequena, um arroz que a minha mãe fazia e tanto eu como o meu irmão adoravamos, só que ela não se lembra como fazia e quando lhe disse como tinha feito este disse-me logo que não é assim!!! mas não se lembra 🙂
Então a minha receitinha.
Fiz um refogado com uma cebolinha picada, dois dentes de alho e azeite.
Juntei as carnes e deixei alourar um bocadinho, juntei o arroz e fui mexendo tudo até o arroz ficar transparente.

Juntei o dobro da água (em relação ao arroz) a ferver, com cuidado porque borbulha muito.
Deixei cozinhar o arroz e no fim juntei dois ovos mexidos e envolvi bem.
Igual ao da minha mãe não é concerteza, mas ficou bom, fica um arroz soltinho muito saboroso.
Arroz, Favas, Peixe

>Risoto de favas com filetes de peixe gato

>Pois é risoto de favas, nunca vi tal coisa, mas nada como experimentar e o resultado foi bem agradável, será uma experiencia a repetir com as favas novas que penso ficará muito melhor.

Juntando um pacote de arroz para risoto que tinha aberto já há algum tempo com umas favas que tinha na arca congeladora há um ano!!! sim há um ano, porque são da produção da quinta do ano passado e como já estão aí as novas há que acabar com as antigas, a primeira ideia foi deitá-las fora, mas depois de pensar resolvi inventar.

Estas favas duraram tanto, porque a produção foi grande no ano passado e para ser honesta não gosto muito delas congeladas e as poucas que gastei foi em sopa.

1 copo de arroz para risoto
1 cebola picada
1 copo de vinho branco
2 copos de caldo de carne ( feito com meio cubo de Knorr)
Favas a gosto

Este risoto fiz seguindo a técnica que usei para o outro que tenho por aí.

Fiz um refogado com a cebola, azeite e quando estava já meia transparente, juntei-lhe o arroz e mexi até absorver o azeite, um bocadinho de vinho e fui mexendo até acabar de juntar o vinho.

Juntei as favas ás quais já tinha dado uma ligeira fervura em água e fui mexendo.

Juntei o caldo de carne aos poucos, á medida que o arroz ia absorvendo o liquido, no fim ainda juntei mais um bocadinho da água de cozer as favas.

Servi com filetes de peixe gato (panga) que experimentei há pouco tempo em casa da minha mãe e dos quais gostei bastante, temperados com duas horas de antecedencia com sal, uma pitadinha de alho em pó e sumo de limão, fritos!!! panados com pão ralado.