Bolachas e Bolinhos

>Bolinhos de arroz.

>Bolinhos de arroz e pastel de nata são os unicos bolos que me abrem o apetite em pastelarias, e mesmo estes raramente como, não faz parte do meu dia a dia este tipo de lanche.

E por incrivel que pareça nunca me tinha puxado para os fazer, talvez porque não sou muito fã de bolinhos pequenos e de untar forminhas, mas agora que arranjei um fanático de untar forminhas pode ser que venha a fazer mais, é que o meu pequeno é um papa manteiga e então adora untar as formas, porque no fim lambuza-se todo a lamber os dedos.

Esta receita procureia por aí

125 g de açúcar + o necessário para polvilhar
70g de margarina
3 ovos
150 g de farinha de arroz
50 g de farinha
1 colher de sobremesa de fermento em pó

Bata o açúcar com a margarina até obter um creme liso e esbranquiçado.
Junte os ovos, um a um batendo sempre.

Isto é o que diz a receita pela qual me guiei, mas quando fiz estes bolinhos estava com um monte de coisas em mão e a primeira coisa que fiz foi partir os ovos e como tinha na ideia que a segunda coisa que se metia era a manteiga foi mesmo isso que lhe juntei e só quando o meu ajudante me disse que aquilo não se misturava bem é que dei conta do erro, mas não houve problema, juntei-lhe em seguida o açúcar e a coisa já se misturou melhor e foi só bater muito bem.

Depois foi só juntar a farinha de arroz misturada com a outra farinha e o fermento e envolver muito bem.

A parte do papel vegetal a envolver os bolinhos tão tradicional e que os caracteriza tão bem, passei….

Por isso meti a massa nas forminhas untadas e polvilhadas de farinha e polvilhei a massa antes de ir para o forno com açúcar.

Cozeram em 10 minutos no forno pré-aquecido a 180º com ventilação.

Ficaram uns bolinhos muito bons, mesmo com a troca na ordem dos ingredientes e sem o papel.

Quem quiser fazer com o papel, é só cortar uns rectangulos em papel vegetal e agrafá-los em canudinhos, meter num tabuleiro também forrado de papel vegetal e encher coma massa.

Anúncios
Bolachas e Bolinhos

>Ó mãe porque é que estes bolos se chamam esquecidos?

>

 -Olha não sei… Ah! já te esqueceste 🙂 pois é isso mesmo se calhar foram esquecidos e dai o nome.
Eu não me esqueci deles, porque a minha avó fazia sempre uma montanha deles na páscoa.

Estes esquecidos são tipicos lá na minha terra a Covilhã, não sei se são bem estes, mas foi a receita que encontrei que achei mais parecida com a que a minha avó fazia, essa eu não tenho, porque nunca me lembrei de apontar, porque na altura em que ela os fazia era uma época em que eu devia pensar ainda que as pessoas são eternas e não desaparecem….
250 grs de açúcar
250 grs de farinha
4 ovos
Dizem as regras e preceitos que os ovos inteiros se devem bater durante meia hora, mas eu penso que isso seria no tempo em que se batiam os bolos á mão por não haver batedeira electrica, por isso eu bati só 10 minutos.
Em seguida junta-se a farinha sem bater, envolvendo só.
 
Deita-se a massa em colheradas espaçadas num tabuleiro untado e polvilhado.

Deixa-se cair o tabuleiro sobre a mesa para espalhar a massa e levam-se a cozer em forno bem quente, esta parte de deixar cair o tabuleiro eu não fiz, porque não foi necessário vi que a massa já estava a espalhar-se.

Vai a cozer em forno pré-aquecido a 180º e coze em 10 minutos mais ou menos.

Uma coisa que eu fiz e não manda a tradição foi antes de ir para o forno polvilhei com uma pitada de açúcar, porque a minha avó também fazia assim, para a proxima vou meter um pouco menos de açúcar porque achei muito doces.

Bolachas e Bolinhos, Bolos

>Queques simples e bolo formiguinha

>

Acho engraçado os estrangeirismos que se vão adoptando por cá juntando aos que já existiam, temos agora cupcakes, smothies e por aí, eu cá em casa continuo a fazer queques, não são enfeitadinhos porque se não o meu menino não lhes toca, mas são bem saborosos e fofinhos.
Estes fiz para ele levar para a escolinha para os lanches da manhã, porque para além de ele não gostar de coisas muito elaboradas eu recuso-me a comprar-lhe bolos e bolinhos empacotados em plasticos, cheios de gorduras trans, enquanto eu conseguir controlar isso ele não come, quando for ele a decidir fará o que entender.

Esta receita é o tipico pão de ló á moda cá de casa

4 ovos caseirinhos por certo
2 chávenas de açúcar
2 chávenas de farinha
1 chávena de leite.

Bater primeiro as claras em castelo e reservar.
Bater as gemas com o açúcar muito bem até dobrar de volume e juntar depois de modo alternado a farinha junto com o leite e ir batendo para homogeneizar bem.
Por ultimo juntar as claras em castelo, envolvendo de modo suave.

Encher forminhas untadas com manteiga e polvilhadas com farinha e levar ao forno a 200º durante mais ou menos 15 a 20 min, dependendo do tamanho das forminhas.

Eu como sempre detestei  untar e desenformar bolinhos, logo que fiz um numero razoável de pequeninos, deitei o restante da massa para uma forma de buraco também untada e polvilhada e fiz um bolo maior.
Nesta juntei umas formiguinhas de chocolate, porque já tenho visto fotografias de bolos assim e pensei que o menino gostasse, errei 🙂 como já disse ele quando vê coisas a mais já nem prova, adorou os bolinhos e o bolo pintinhas mais menineiro e com a mesma massa nem provou, mas também não teve muito tempo para decidir se queria, porque o pai e mãe encarregaram-se de acabar com ele em três tempos.
Bolachas e Bolinhos, Chocolate, Leite condensado

>Brigadeiros

>

Finalmente fiz brigadeiros, uma coisa que tinha a certeza ser do meu agrado e nunca tinha experimentado.
E que data melhor para os fazer do que uma festa de crianças, pois foi nos anos do meu menino que eles sairam.
Mais uma vez dei a volta á receita, em vez do chocolate em pó resolvi usar o meu creme de barrar bolos, uma vez que tinha de sobra,  seria boa ideia aproveitá-lo.
Então para.
Uma lata de leite condensado
3 colheres de sopa de creme de chocolate*
1 colher de sopa de manteiga
Chocolate granulado e granulado colorido q.b.

Então a aventura dos brigadeiros.

Colocar ao lume o leite condensado com o chocolate e a manteiga, mexendo sempre até fazer uma estrada, quando se raspa com a colher de pau no fundo do tacho.

Depois é só transferir para um tabuleiro untado, de óleo, ou manteiga (eu prefiro manteiga) deixar arrefecer e depois de frio formar as bolinhas e passar pelo chocolate granulado e eu passei também pelo granulado colorido.

Depois de muita luta para fazer tantas bolinhas ficaram uns brigadeiros lindos e saborosos, nunca vi o meu menino comer nada com tanta satisfação, enquanto não acabaram, passou o tempo em volta do frigorifico á procura de mais.
Esta dose dá para mais ou menos 30 bolinhas.
*O creme de chocolate que eu uso para barrar os bolos é feito com 200 gr de chocolate para culinária, um pacote de natas,tudo em banho maria a derreter, até ficar um creme lisinho.
Bolachas e Bolinhos

>Macarons ou talvez não

>De tanto ver macarons no blog da Claudia resolvi experimentar, o blog dela é uma tentação, porque tem sempre umas coisas espectaculares, mas quase sempre com muitos preceitos e rigor, coisa que eu não sou muito.
Mas mesmo assim lá me aventurei nos macarons, que já há algum tempo se andavam a rir para mim , claro que para além de ser uma coisa que nunca provei, nem faço ideia de como resulta e  parece-me uma coisa delicada demais, com demasiados preceitos para a minha paciência, que normalmente invento sempre nas receitas e raramente consigo seguir uma á risca.

Fui fazer um estudo das receitas da Claudia e fiz com o fruto seco que tinha em casa, neste caso amêndoa e a receita que utilizei foi a que ela fez com castanha do pará.

2 claras envelhecidas por dois ou três dias
1/2 copo de 250ml de farinha de castanhas do Brasil ( usei amendoa)
1 copo de 250ml de açúcar em pó
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de extrato natural de baunilha (não usei porque não sou fã do sabor de baunilha)

Das receitas que li e do que eu percebi fiz assim.

Deixei as claras numa tacinha coberta em cima da banca por 2 dias, para envelhecerem.

Bati em castelo e quando estavam já firmes, juntei as colheres de açúcar até ficarem bem firmes.

Envolvi a amendoa moída muito bem com o açúcar em pó e envolvi esta mistura com bastante cuidado nas claras, até estar tudo muito homogéneo.

Na receita da Cláudia ela explica uma serie de preceitos dos quais eu tentei cumprir alguns, quem quiser pode vêr lá no blog dela os pormenores.

Abdiquei do saco de pasteleiro, porque como tinha pouca fé no resultado, achei que era trabalho demais e formei as bolinhas com uma colher de sobremesa e deixei a descansar um bocadinho antes de ir para o forno, para formar uma pelicula.

O tempo de cozedura que ela recomenda é 15 minutos a 150º, os meus nesse tempo e nessa temperatura estavam crus, não sei se os fiz demasiado grandes.

Tive que deixar o dobro do tempo.

A textura como nunca provei os originais não faço ideia se ficou parecido ou não, o aspecto não me pareceu nem primo, mas o sabor dos meus e a textura ficou muito boa.

Ficram levinhos e a desfazerem-se na boca, muito bons.
Bolachas e Bolinhos, Bolos

>Queques de laranja

>Vi  esta receita no blog da Rute e achei engraçado ela dizer que deveria ser feito com laranjas biológicas, disso todos sabemos, mas nem sempre temos, como eu tinha acabado de colher umas cestinhas delas lá na quinta, resolvi experimentar, mas também porque gosto de bolos de laranja e porque achei uma boa ideia para o Mi levar para a escolinha para o lanche.

O resultado parece-me que não foi bem o que ela obteve, mas como introduzi umas alterações na forma e no genero também era de esperar, para além de não ter a famosa bimby, os ingredientes também tiveram uma alteraçãozita.

A receita dela na integra

1 laranja grande (usei duas médias)
1/2 chávena de óleo(usei leite)
1 chávena de açúcar branco
1/2 chávena de açúcar mascavo(usei amarelo)
1 iogurte

1 chávena de farinha branca

1/2 chávena de farinha maizena
4 ovos
1 colher de sopa de fermento.

No modo de preparação, como não tenho bimby Fiz também de maneira diferente.

Lavar muito bem as laranjas e parti-las aos quartos com casca e tudo, retirando apenas as pontas.
Triturar no copo misturador e juntar aqui o leite para ajudar a triturar melhor.

Quando estiver bem triturado, juntar o açúcar, o iogurte e os ovos e misturar muito bem.

Retirar esta mistura do copo e meter numa taça e bater mais um pouco com a batedeira.

Por ultimo juntar as farinhas peneiradas com o fermento e envolver bem.

Levar ao forno pré-aquecido a cozer a 220º durante o tempo necessário, dependendo se se trata de bolos pequenos ou bolo grande.

Eu cozi metade numa forma de bolo inglês e a outra metade fiz em forminhas de queque.
A consistência obtida foi de queijada, tanto nos pequenos como nos grandes, o primeiro que cozi foi o grande e ainda pensei ter ficado mal cozido, mas nos pequenos ficou igual.

Ficaram uma verdadeira delicia, saudáveis e do agrado de todos.
Bolachas e Bolinhos

>Talaças ou Waffles

>Acho engraçado ver pelos blogs estes nomes pomposos e estrangeirismos, toda a vida conheci estes bolinhos por Talaças agora viraram Waffles e mais flagrante ainda são os famosos queques que agora também viraram cupcakes, tudo bem o que importa é o sabor.

Voltando ás talaças, já há algum tempo que andava com vontade de comprar uma máquina, apareceu em promoção no Lidl  e comprei, a marca é desconhecida e as talaças ficam pequeninas, mas como o preço também foi pequeno está adequado.
A receita da minha mãe não tenho cá em casa e como demorava algum tempo a ir lá e não posso passar dois dias em casa com uma máquina nova sem experimentar fui á procura no sitio do costume, porque as receitas que vem com a máquina levam manteiga a mais para o meu gosto.
Encontrei no blog da Luisaalexandra uma receitinha que me pareceu muito bem e decidi fazer esta.
A receita foi copiada na integra, a única coisa que retirei foi a essência de baunilha e o coco ralado meti só em metade da receita.

2 Ovos
1 chávena de chá de Leite
2 colheres (de sopa) de Açúcar
1 colher (de chá) de Sal
2 chávenas de chá de Farinha de Trigo com Fermento
1 colher de sobremesa de Fermento em Pó
150 gr. de Margarina
1 colher (de café) de Essência de Baunilha
2 colheres (de sopa) de Côco Ralado

Ela diz que misturou os ingredientes no quik-chef, eu como não tenho, achei que faria o mesmo no copo misturador, a massa ficou espessa e tive que acabar de mexer á mão.
Comemos barradas com chocolate tipo Nutella, porque não me apeteceu fazer molho de chocolate.
As que levaram coco ficaram muito boas também, porque fica com um toque muito discreto ao coco, que quem não souber o que tem fica, a pensar o que será.