Enchidos/Fumeiro, Favas

>Favas com chouriço

>

Estas favas cresceram de geração espontânea lá na quinta, como o tempo cada vez é menos para ir até lá, no ano passado foi um vizinho que apanhou os restos mortais das favas do ano passado e os deixou por lá espalhados, o que quer dizer favas secas ao abandono e matéria orgânica para servir de fertilizante, com uma chuvinha e um sol em cima lá nasceram as favinhas, mesmo no meio da erva sem qualquer atenção cresceram.
E quando fui espreitar até tinham umas vagens bem bonitas, a natureza é mesmo perfeita, foi só apanhá-las, porque não deram trabalho nenhum, para além de cozinhar.
Umas favas 100% biológicas.
Mas como eram poucas, nem dava para fazer só com o grão, nem dava para fazer só esparregado, pelo que resolvi experimentar misturar as duas coisas, retirei o grão das vagens grandes e cortei as pequeninas como se fosse para esparregado sempre pensando que o resultado podia ser esquisito.
E o resultado foi este
1 cebola grande
3 dentes de alho
2 colheres de sopa de polpa de tomate
1 embalagem de bacon fumado
1 chouriço caseiro
1 copo de vinho(200ml)
Azeite e sal q.b.
O modo é o costume, refogar a cebola e os alhos bem picadinhos com o azeite e juntar o bacon aos cubinhos, deixar a cebola ficar transparente e juntar o tomate e o vinho e deixar cozinhar mais um bocadinho.
Juntar as favas, deixar cozinhar e por ultimo o chouriço que já deve estar  préviamente cozido.
Deixar apurar o molho e só juntar um pouco de água se secar muito.
Com arroz branco para acompanhar, só para ensopar o molhinho fica uma delicia, até o meu menino adorou, e comeu tudo, mesmo depois de reclamar do arroz, que tal como eu não é muito fã.
A unica reclamamação foi a falta do ovo escalfado, que por falta de lembrança não meti.
Anúncios
Carnes, Favas, Legumes

>Favas estufadas

>Aqui em casa a comida segue certas tendencias habitualmente é como a moda, em época de favas tem sido favas com tudo, porque a produção lá na quinta tem estado em alta.

Este ano por acaso, como quase todas as descobertas importantes, e por calcular que nos tempos mais breves não poderia ir á quinta, o marido apanhou as favas todas ainda pequenas ao contrarios dos outros anos e o grão como mostrei no esparregado de favas estava ainda de tamanho médio e sem o risco preto e isto traduziu-se em quê??!! umas favas tão tenrrinhas e macias que pareciam veludo.
Para variar resolvi fazer favas estufadas com bacon e carne de porco.
1 cebola grande
3 dentes de alho
1/2 copo de polpa de tomate com alho e cebola
100 gr de Bacon
Carne de porco (rojões e carne entremeada)
Grão de favas q.b.
1/2 Linguiça
1 copo de vinho branco
Folha de louro
Raminho de salsa
Azeite e sal q.b.
Fiz um refogado com azeite, a cebola e o alho picado e o louro.
Juntei-lhe o bacon, a linguiça partida aos bocadinhos e carne de porco. Deixei cozinhar um bocadinho.
Juntei o tomate e o vinho, a salsa e deixei apurar o molho.

No fim juntei as favas lavadas, sem me preocupar em escorrer muito e deixei cozinhar em lume brando tapado e sem mexer muito.

Juntar um bocadinho de água só se o molho secar.
Estas cozinharam muito rápido por causa de não serem muito grandes.

Fica bem com arroz branco a acompanhar, para ensopar o molho, mas eu não fiz desta vez.
Acompanhamentos, Esparregado, Favas, Legumes

>Esparregado de favas

>

A fátima do blog as comidas da preta, perguntou-me se favas e vagem é a mesma coisa e depois de ver que há uma certa dificuldade em as amigas brasileiras entenderem certos termos que se usam por cá resolvi colocar duas fotografias para explicar a diferença.

Esta é a vagem que no feijão é muito utilizado em sopa e noutras coisas, na fava não tenho conhecimento que seja muito utilizada por cá.

O grão da fava ao contrário é amplamente utilizado em pratos, bastante tipicos por cá.

Em casa da minha mãe as vagens sempre foram bastante utilizadas para esparregado, mas tem que se utilizar do tamanho que mostro aqui, ainda pequenas, quando ainda não têm grão e o interior é bastante esponjoso e a vagem ainda não é dura.

Para fazer o esparregado, como a minha mãe faz é preciso cortar as vagens como se fosse para sopa, bem fininho e levar a cozer.

Depois pica-se bastante alho e leva-se a dourar em azeite.

Junta-se as favas cozidas e mal escorridas, bastante vinagre e uma colher de sopa de farinha e mexe-se bem até a farinha estar cozinhada.

É optimo para acompanhar diversos pratos de carne peixe, arroz, batatas ou massa e para quando se quer uma coisa mais ligeira serve perfeitamente de prato principal com uma carne ou peixe grelhado só.

Arroz, Favas, Peixe

>Risoto de favas com filetes de peixe gato

>Pois é risoto de favas, nunca vi tal coisa, mas nada como experimentar e o resultado foi bem agradável, será uma experiencia a repetir com as favas novas que penso ficará muito melhor.

Juntando um pacote de arroz para risoto que tinha aberto já há algum tempo com umas favas que tinha na arca congeladora há um ano!!! sim há um ano, porque são da produção da quinta do ano passado e como já estão aí as novas há que acabar com as antigas, a primeira ideia foi deitá-las fora, mas depois de pensar resolvi inventar.

Estas favas duraram tanto, porque a produção foi grande no ano passado e para ser honesta não gosto muito delas congeladas e as poucas que gastei foi em sopa.

1 copo de arroz para risoto
1 cebola picada
1 copo de vinho branco
2 copos de caldo de carne ( feito com meio cubo de Knorr)
Favas a gosto

Este risoto fiz seguindo a técnica que usei para o outro que tenho por aí.

Fiz um refogado com a cebola, azeite e quando estava já meia transparente, juntei-lhe o arroz e mexi até absorver o azeite, um bocadinho de vinho e fui mexendo até acabar de juntar o vinho.

Juntei as favas ás quais já tinha dado uma ligeira fervura em água e fui mexendo.

Juntei o caldo de carne aos poucos, á medida que o arroz ia absorvendo o liquido, no fim ainda juntei mais um bocadinho da água de cozer as favas.

Servi com filetes de peixe gato (panga) que experimentei há pouco tempo em casa da minha mãe e dos quais gostei bastante, temperados com duas horas de antecedencia com sal, uma pitadinha de alho em pó e sumo de limão, fritos!!! panados com pão ralado.

Favas, Sopas

>Creme de favas

>Na sequência da produção de favas deste ano e na necessidade de dar escoamento a tanto produto, resolvi fazer uma pesquisa, no sitio do costume, a blogosfera, para procurar uma sopinha para variar.

Como não encontrei nenhuma que me enchesse o olho na totalidade, juntei um bocadinho daqui e outro dacolá e resultou um creme muito bom.

Cortei uma cebola de modo grosseiro e três dentes de alho e foram bronzear para a panela com o azeitinho.

Depois de a cebola estar já meio transparente, juntei as favas(+/-600gr) já descascadas e deixei tomar o gostinho.

Depois juntei duas batatas médias cortadas aos cubos, sal e fui acrescentando água até tapar os ingredientes e deixei cozer.

Triturei tudo e juntei mais água até ter a consistencia desejada de creme e juntei meio raminho de coentros picados e deixei só levantar fervura e já está.

O critico cá de casa diz que esta sopa não sabe a favas sabe só a coentros!!!! eu penso que sabe bastante a coentros.

Carnes, Favas, Legumes

>Favas á minha maneira

>A produção de favas, lá da quintinha é tipo progressão geométrica, plantam-se un grãozinhos e saem de lá milhões de tubos gigantones bem cheinhos, biológicos 100% e para além disso sem trabalho nenhum, pura geração espontânea.

Mas o inconveniente é que eu gosto de favas, mas duas vezes por ano no máximo!!!!

Da produção deste ano sairam estas favas á minha maneira, as quantidades é tudo q.b.

Cebola, alho, presunto caseirinho e uns cubinhos de bacon, tudo a bronzear no azeite, e carne a gosto.

Neste caso juntei carne de porco cortada aos cubinhos, juntei um bocadinho de vinho e deixei cozinhar a carne por um bocadinho, em seguida juntei tomate bem madurinho sem pele e partido.

Quando a carne está quase cozinhada, juntam-se as favas, tapa-se o tacho e deixa-se cozinhar em lume brando, até as favas estarem cozidas e o molho bem apurado, juntar mais liquido, apenas se secar muito, ou se se quiser por ovos para escalfar, eu não juntei, porque tinha muita carne.