Doces de colher, Pudins

>Forminhas, pudim dos copos e outros

>

Esta receita é bem velhinha, estava no meu primeiro livro de receitas, escrito á mão por mim desde os 13 ou 14 anos ou menos, como não tem datas já não me lembro, as forminhas é que são novinhas e a inspiração (das formas claro) vem do blog da Claudia, um blog que sigo com atenção, não só pelas receitas, mas pelo que ela escreve e pelas opiniões dela e pelos artigos que já muitas vezes me fizeram rir e com os quais tenho aprendido bastante e por falar nela escreveu há pouco um artigo bem engraçado acerca da autoria das receitas, com a opinião dela e com um extrato de um texto que eu aproveito para deixar aqui também, achei engraçado e nunca tinha pensado neste assunto assim, apesar de ser uma coisa que ás vezes me “perturba” um pouco, pelo stress que se nota nos blogs, onde se reclamam citações, cópias e autorias.
Uma das coisas mais interessantes em culinária é a ilusão da autoria de uma receita.

E concordo com o que o artigo contém, porque, se procurarmos nos kiosques  e nas livrarias as revistas de culinaria e os livros que nascem como cogumelos por aí, lá encontramos aquela receita que todas temos nos nossos caderninhos escritos há mão de há anos, que passaram de mães para filhas ou daquela amiga especial, uma receita se não igual, muito semelhante em que a unica coisa que muda muitas vezes é uma graminha disto ou daquilo ou algum ingrediente.
Eu mesma, já tenho escrito por aqui, mais que uma vez, que se tentarmos procurar uma receita qualquer na net encontramos a mesma em milhões de blogs e sites e fica a dúvida de qual devemos citar, o que a publicou primeiro, ou vamos citar o que citou a “verdadeira” fonte e se assim é, quem é a verdadeira fonte??
Ainda há bem pouco tempo vi num blog uma receitinha de batatas assadas á minha maneira e em que estava indicado como sendo de um cozinheiro famoso, mas a minha fiz assim por mero acaso e resultou bem. Enfim como diz o artigo a maioria das receitas são clássicos da culinária daqui e dali com pequenas adaptações e porque como ela mostrou receitas culinárias estão fora dos direitos de autor na convençao de berna, eu sinto-me á vontade para colocar ou não de onde retirei a receita, este artigo dela deixa-me mais á vontade para o fazer e continuarei a faze-lo se isso me der prazer, ou não, se pura e simplesmente não me diz nada o sitio de onde retirei, como já vinha fazendo.

E porque se as pessoas colocam na net as suas receitas, tal como eu é porque gostam de partilhar, eu tenho aprendido muito com o blog, seja receitinhas, seja ideias na forma de apresentar o produto final e estas forminhas para substituir a tradicional forma grande,  foi uma dessas ideias que adorei e logo que pude comprei igual, não para imitar ninguem, apenas gosto de aproveitar as boas ideias e gosto de as partilhar para que alguem possa também aproveitar delas se assim o entender.
Cá estão num pudinzinho que adoro e que já a minha mãe fazia, porque era o meu pudim favorito, agora se há meio mundo que tem a receita igual, ainda bem é sinal que ele é mesmo bom 🙂
Anúncios
Doces de colher, Leite condensado, Pudins

>Pudim dos copos

>Este que fiz não é o verdadeiro original dos copos, porque como fiz para o natal resolvi dar-lhe um toque diferente.

Este é um pudim para fazer rápido quando aparece alguem de surpresa e não há tempo de fazer mais nada, na casa da minha mãe como há muita falta de tempo é sempre uma boa solução mesmo para alturas mais festivas.

Um copo de ovos
Um copo de leite
Um copo de açúcar(substitui por leite condensado)

Dependendo do tamanho da forma assim escolho o tamanho do copo, que até pode ser um copo grande graduado e deito os ovos que quero e marco, depois é só medir igual quantidade do resto, coze na panela de pressão em banho maria em forma com tampa caramelizada.

Em menos de meia hora está o pudim feito depois enquanto se come ele arrefece.

Neste substitui o açúcar por uma lata de leite condensado e cozi no forno em banho-maria, porque este estava ligado e ficou muito bom
Doces de colher, Pudins

>Pudim de morango

>Andei a arrumar as minhas fotografias das ferias e encontrei lá esta do pudim de morango que esqueci de postar aqui, porque foi feito em casa da minha mãe.

Este pudim é uma das receitas maravilhosas da Isabel das quais já tinha feito de pêssego .
0,5 kg de morangos,
3 chavenas de água,
0,5 chavena de açúcar,
1 embalagem de gelatina de morango(2 pacotinhos),
1 pacotes de natas.
Primeiro arranjam-se os morangos, lavam-se e cortam-se aos bocadinhos e reservam-se.
Levar a água e açúcar ao lume a ferver até derreter o açúcar.
Retirar do lume e acrescentar a gelatina, mexendo sempre, para misturar bem.
Acrescentar os morangos e as natas sem bater.
Mexer bem para envolver e deitar numa forma de buraco.
Desenforma-se somente no dia a seguinte.
O truque para desenformar é colocar a forma em água uns minutos..

Esta foi a foto possível, porque a pressa para o comer era tanta que foi desenformado no mesmo dia e estava quase a desmanchar-se!!!mas não sobrou nada mesmo assim!!!
Doces de colher, Pudins

>Pudim mandarim com ovos

>Fiz este pudim para aproveitar o pacotinho que me sobrou, uma vez que comprei para fazer um pudim de coco.

Como não costumo fazer este tipo de pudins de pacote, resolvi fazer a receita que recomendam na embalagem e ficou muito bom, com uma textura quase de molotof.

1 pacote de pudim Mandarim
4 Ovos,
4 colheres de açucar
1/2l de leite

Meti o leite ao lume para levantar fervura.

Juntei as gemas com o pó do pudim e com o açúcar, e juntei umas colheres de leite quente e bati bem, juntei depois com cuidado ao resto do leite a ferver, para não ganhar grumos, tem que se mexer bem.

Levei novamente ao lume para engrossar e cozer as gemas, retira-se do lume.

No fim de tudo, bati as claras em castelo e juntei ao pudim quente, recomendava mexer rapidamente e eu como tinha a batedeira ligada, bati com a batedeira.

Depois é só fazer caramelo, deitar numa forma e levar ao frigorifico a solidificar.

Doces de colher, Pudins

>Molotof

>Tinha umas claras no frigorifico já há uns dias e tinha que aproveitar ou então teriam que ir para o lixo, o que não está certo com tanta gente a passar fome!!!!

E pensei que o mais fácil seria fazer um molotof e já está.

A minha receita já nem sei que me deu, porque há muitos anos que faço igual.

E é muito fácil,

Uma clara
Uma colher de açúcar
Um minuto no forno em banho maria,

depois é só multiplicar pelas claras que temos ou queremos fazer.

Meter um tabuleiro com água no forno e pré-aquece-lo a 200º

Batem-se as claras em castelo e juntam-se as colheres do açúcar, e por ultimo envolve-se caramelo liquido a gosto.

Eu costumo fazer caramelo e no fim das claras batidas envolvo-o antes de arrefecer, o que provoca um arrefecimento em contacto com as claras e forma uns cristaizinhos de caramelo, que no fim de frio o molotof se transformam em lágrimas de caramelo, eu gosto mais do que com caramelo já pronto do de compra, que lhe confere uma cor homogénea acastanhada.

Hoje com a história das fotografias esqueci-me do caramelo, ainda comecei a juntar um bocadito do de compra, mas desisti e pensei fazer doce de ovos para o cobrir.

Deita-se a mistura numa forma também caramelizada ou não consoante o gosto e vai ao forno.

No fim do tempo, pode-se retirar e pode-se desenformar logo, que nunca abate, porque o segredo é não deixar cozer demais.

Já veio a voz critica cá de casa dizer – gosto mais com caramelo!!!! mas não ficou mal…

A versão com caramelo, fica mais douradinho

Doces de colher, Pudins

>Pudim de pêssego

>Ontem apetecia-me algo doce, mas nem sabia muito bem o quê então vim dar uma olhada nos blogs para vêr se aparecia alguma coisa interessante e vi um pudim de pessego aqui com aquele aspecto mesmo a dizer come-me eheheh

Vai daí meti mãos á obra e fui vêr o que tinha cá em casa para o fazer e como costume lá inventei um bocadito, primeiro porque dois pacotes de natas me pareceu muita gordura então para não inventar muito resolvi fazer só metade da receita o que para dois é mais que suficiente.

Então usei uma lata de pessego em calda partidinho aos pedacinhos usei a calda que vem na lata e completei com água as três chávenas recomendadas e juntei só meia chávena de açúcar, levei ao lume até ferver e dissolver o açúcar.

Depois de retirar do lume juntei dois pacotes de gelatina que era suposto ser de pêssego mas que foi de pessego e manga porque era o que havia.

Juntei no fim um pacote de natas sem bater, foi ao frigorifico em forma de buraco e desenformei e ficou assim.

Não consegui virar ao contrário para ficar mais bonita, mas isso é só para especialistas eheheheh

Doces de colher, Pudins

>Pudim de coco

>Este pudim de coco foi das primeiras coisas que experimentei dos blogs que visito, penso que no docescozinhados.

E experimentei, porque sempre fui um bocado anti “pacotes”, mas este pareceu-me interessante

Levar 1/2litro de leite ao lume para aquecer
Entretanto, bater 3 ovos, juntar 100 gr de açúcar, 1 pacotinho de pudim “El Mandarim” e 100 gr de coco.
Quando o leite começar a ferver adicionar a mistura dos ovos mexendo sempre até ficar bem misturado.

Deixar cozer 3 ou 4 minutos até a mistura começar a engrossar.

Verter o pudim para uma forma caramelizada e quando estiver frio colocar no frigorífico.

Fica um pudim fresco e não muito doce.